"Que te devolvam a alma homem do nosso tempo. Pede isso a Deus ou às coisas que acreditas: à terra, às águas, à noite desmedida. Uiva se quiseres, ao teu próprio ventre se é ele quem comanda a tua vida, não importa... Pede à mulher, àquela que foi noiva, à que se fez amiga. Abre a tua boca, ulula, pede à chuva. Ruge como se tivesses no peito uma enorme ferida, escancara a tua boca, regouga: A ALMA. A ALMA DE VOLTA." (Hilda Hilst)

31/03/2013

O GATO E O ESCURO (MIA COUTO)

Sabem porque Mia Couto se chama Mia (já que o nome dele é Antônio Emilio Leite Couto)? É por causa de sua adoração pelos gatos, pelo que li... e quem também ama gatos (como eu!) vai gostar desse lindo conto dele: "O Gato e o escuro"... Adorei!!! Sempre tive gatos de todas as cores, e sempre achei os gatos pretos lindos, assim como todos os outros!
(Pintura de Jean-Paul Avisse)
"Vejam, meus filhos, o gatinho preto, sentado no cimo desta história. Pois ele nem sempre foi dessa cor. Conta a mãe dele que, antes, tinha sido amarelo, às malhas e às pintas. Todos lhe chamavam o Pintalgato. Diz-se que ficou desta aparência, em totalidade negra, por motivo de um susto. Vou aqui contar como aconteceu essa trespassagem de claro para escuro. O caso, vos digo, não é nada claro. Aconteceu assim: o gatinho gostava de passear-se nessa linha onde o dia faz fronteira com a noite.   Faz de conta o pôr do Sol fosse um muro. Faz mais de conta ainda os pés felpudos pisassem o poente. A mãe se afligia e pedia: 
- Nunca atravesse a luz para o lado de lá. 
Essa era a aflição dela, que o seu menino passasse além do pôr de algum Sol. O filho dizia que sim, acenava consentindo. Mas fingia obediência. Porque o Pintalgato chegava ao poente e espreitava o lado de lá. Namoriscando o proibido, seus olhos pirilampiscavam.
Certa vez, inspirou coragem e passou uma perna para o lado de lá, onde a noite se enrosca a dormir. Foi ganhando mais confiança e, de cada vez, se adentrou um bocadinho. Até que a metade completa dele já passara a fronteira, para além do limite. Quando regressava de sua desobediência, olhou as patas dianteiras e se assustou. Estavam pretas, mais que breu. Escondeu-se num canto, mais enrolado que o pangolim. Não queria ser visto em flagrante escuridão. Mesmo assim, no dia seguinte, ele insistiu na brincadeira. E passou mesmo todo inteiro para o lado de além da claridade. 
À medida que avançava seu coração tiquetaqueava. Temia o castigo. Fechou os olhos e andou assim, sobrancelhado, noite adentro. Andou, andou, atravessando a imensa noitidão. Só quando desaguou na outra margem do tempo ele ousou despersianar os olhos. Olhou o corpo e viu que já nem a si se via. Que aconteceu? Virara cego? Por que razão o mundo se embrulhava num pano preto? 
Chorou. 
Chorou. 
E chorou.
Pensava que nunca mais regressaria ao seu original formato. 
Foi então que ouviu uma voz dizendo: 
- Não chore, gatinho. 
- Quem é? 
- Sou eu, o escuro. Eu é que devia chorar porque olho tudo e não vejo nada. 
Sim, o escuro, coitado. Que vida a dele, sempre afastado da luz! 
Não era de sentir pena? Por exemplo, ele se entristecia de não enxergar os lindos olhos do bichano. Nem os seus mesmo ele distinguia, olhos pretos em corpo negro. Nada, nem a cauda nem o arco tenso das costas. Nada sobrava de sua anterior gateza. E o escuro, triste, desabou em lágrimas. Estava-se naquele desfile de queixas quando se aproximou uma grande gata. Er a mãe do gato desobediente. O gatinho Pintalgato se arredou, receoso que a mãe lhe trouxesse um castigo. Mas a mãe estava ocupada em consolar o escuro. E lhe disse: 
- Pois eu dou licença a teus olhos: fiquem verdes, tão verdes que amarelos.
E os olhos do escuro de amarelaram. E se viram escorrer, enxofrinhas, duas lagriminhas amarelas em fundo preto. O escuro ainda chorava:
- Sou feio. Não há quem goste de mim. 
- Mentira, você é lindo. Tanto como os outros. 
- Então porque não figuro nem no arco-íris? 
- Você figura no meu arco-íris. 
- Os meninos têm medo de mim. Todos têm medo do escuro. 
- Os meninos não sabem que o escuro só existe é dentro de nós. 
- Não entendo, Dona Gata. 
- Dentro de cada um há o seu escuro. E nesse escuro só mora quem lá inventamos. Agora me entende? 
- Não estou claro, Dona Gata. 
- Não é você que me te medo. Somos nós que enchemos o escuro com nosso medos. 
A mãe gata sorriu bondades, ronronou ternuras, esfregou carinho no corpo do escuro. E foram carícias que ela lhe dedicou, muitas e tantas que o escuro adormeceu. Quando despertou viu que as suas costas estavam das cores todas da luz. Metade do seu corpo brilhava, arco-iriscando. Afinal? O espanto ainda o abraçava quando escutou a voz da gata grande:
- Você quer ser meu filho?
O escuro se encolheu, ataratonto. 
Filho? 
Mas ele nem chegava a ser coisa alguma, nem sequer antecoisa. 
- Como posso ser seu filho se eu nem sou gato? 
- E quem lhe disse que não é? 
E o escuro sacudiu o corpo e sentiu a cauda, serpenteando o espaço. Esticou a perna e viu brilhar as unhas, disparadas como repentinas lâminas. O Pintalgato até se arrepiou, vendo um irmão tão recente.
- Mas, mãe: sou irmão disso aí? 
- Duvida, Pintalgatito? Pois vou-lhe provar que sou mãe dos dois. Olhe bem para os meus olhos e verá.
Pintalgato fitou o fundo dos olhos da sua mãe, como se se debruçasse num poço escuro. De rompante, quase se derrubou, lhe surgiu como que um relâmpago atravessando a noite. Pintalgato acordou, todo estremolhado, e viu que, afinal, tudo tinha sido um sonho. Chamou pela mãe. Ela se aproximou e ele notou seus olhos, viu uma estranheza nunca antes reparada. Quando olhava o escuro, a mãe ficava com os olhos pretos. Pareciam encheram de escuro. Como se engravidassem de breu, a abarrotar de pupilas. Ante a luz, porém, seus olhos todos se amarelavam, claros e luminosos, salvo uma estreitinha fenda preta. Então, o gatinho Pintalgato espreitou nessa fenda escura como se vislumbrasse o abismo. Por detrás dessa fenda o que é que ele viu? Adivinham?
Pois ele viu um gato preto, enroscado do outro lado do mundo."
(Mia Couto - "O Gato e o Escuro")

22/03/2013

CURSO: A ALQUIMIA DOS ELEMENTOS NA ARTETERAPIA

CURSO PRESENCIAL OU ON LINE*
A ALQUIMIA DOS ELEMENTOS
nos mitos e contos, no cinema, na música, na poesia, na culinária e na Arteterapia
Imagem: Alaya Gadeh

*no formato on line a participação será em tempo real, via Skype ou outro programa equivalente de vídeo conferência, e a aula ainda será filmada e poderá ser assistida mais uma vez

Nesse curso, que será vivencial/teórico, abordaremos a questão dos 4 elementos em sua relação com as 4 funções da consciência descritas por Jung: Pensamento – Ar, Sentimento - Água, Intuição - Fogo, Sensação - Terra, aprofundando a compreensão sobre as forças psíquicas e conteúdos simbólicos associados a eles através do estudo da Alquimia, bem como de mitos e contos onde eles são enfocados. Analisaremos ainda como eles aparecem em produções culturais e artísticas: na culinária, na poesia, no cinema, na música (MPB e clássica), demonstrando, a partir dessa compreensão, como podemos trabalhar com essas funções e elementos em Arteterapia.
 .
Quando: Quintas-feiras, das 15:00 às 16:30hs 
Aulas em: 18/4, 25/4, 08/5, 15/5, 22/5, 29/5, 06/6, 15/6, 22/6, 27/6
Investimento: 3 parcelas de 260,00, tanto no formato presencial quanto on line
.
Ministrado por: Patrícia Pinna Bernardo

.
Local: Rua Ministro de Godói, 1267, Perdizes, SP Tel: (11) 3862-2411
Inscrições: preencha a ficha de inscrição e retorne a mim pelo e-mail
pat.pinna@uol.com.br para garantir a sua vaga!
.
FICHA DE INSCRIÇÃO .
NOME:
ENDEREÇO:
TEL RES/COM:                                    
CELULAR:
E- MAIL:
FORMAÇÃO:
ATUAÇÃO PROFISSIONAL ATUAL:
.
Sejam bem-vindos!!! .
Patrícia Pinna Bernardo

www.patriciapinna.psc.br
Psicóloga/ Arteterapeuta
Pós-dra em Mitologia Criativa e Arteterapia (USP)
Coord. da Pós-Graduação em Arteterapia, em Arteterapia Aplicada
e em Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Psicologia Analítica da UNIP
Autora da Coleção: A Prática da Arteterapia (6 volumes)

20/03/2013

Esclarecendo e informando... JUNG na Pós em Arteterapia e em Mitologia Criativa

 
Tanto na Pós em Arteterapia e em Arteterapia Aplicada quanto na Pós em Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Psicologia Analítica que eu criei e coordeno na UNIP, os alunos têm a oportunidade de aprender e aprofundar conceitos centrais e importantíssimos da teoria Junguiana, que eu listo abaixo para conhecimento dos  interessados numa formação consistente na teoria junguiana, abordando esses conceitos de forma acessível e associando à teoria junguiana recursos vivenciais e expressivos como recursos que complementam a aprendizagem e que podem ser utilizados tanto no campo terapêutico quanto no pedagógico, os quais eram amplamente utilizados por Jung em sua prática clínica e em seu processo pessoal de desenvolvimento psicológico – nesse sentido, se poderia dizer que Jung foi um precursor da Arteterapia, pois ele deixou em sua teoria as bases para se fundamentar a utilização de recursos vivenciais e expressivos, bem como a utilização de mitos e contos na prática clínica, institucional e na educação... Lembrando que Jung disse: “A natureza nos servirá de guia, e a tarefa do terapeuta será muito mais a de desenvolver os germes criativos do próprio paciente do que propriamente tratá-lo”
.
Pós em Arteterapia e em Arteterapia Aplicada:
conceitos abordados da teoria junguiana, vistos em diferentes disciplinas do curso
- Estrutura e dinâmica psíquica: símbolos e arquétipos: Grande Mãe, Grande Pai, Persona e Sombra, Anima e Animus, Self.
- Ciclos de desenvolvimento: infância, adolescência, fase adulta e metanóia, velhoce. Individuação. Paternagem e Maternagem nas relações familiares e sociais.
- As 4 funções da consciência (principal, auxiliares e inferior), a questão dos Tipos Psicológicos, e suas aplicações no campo terapêutico, pedagógico e preventivo.
- O processo de individuação, a questão da vocação e o desenvolvimento de potenciais inatos.
- Psicopatologia Simbólica.
- Imaginário, Sonhos e a dimensão simbólica dos contos de fadas e dos mitos de diferentes origens: mitologia grega, africana, indígena, entre outras, e sua aplicabilidade no ensino e na prática clínica (psicoterapia). Mitologia Criativa.
- Alquimia e processos psíquicos.
- Sincronicidade.
- Criatividade, elaboração simbólica e desenvolvimento da personalidade.
- Recursos expressivos e suas aplicações na clínica, no trabalho com grupos e instituições, na educação. Recursos dramáticos e corporais. Mandalas. A indicação terapêutica do trabalho com as diferentes linguagens artísticas: modelagem, pintura, escultura, histórias, etc. A Função Transcendente.
- Jung na educação.
- Leitura simbólica de filmes e outras produções artísticas.
Pós em Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Psicologia Analítica:
conceitos abordados da teoria junguiana, vistos em diferentes disciplinas do curso
- Ciclos de desenvolvimento psíquico: matriarcal, patriarcal, alteridade (adolescência e maturidade), cósmico (velhice). O processo de individuação. A jornada heroica no desenvolvimento da personalidade.
- Mito, rito e arquétipo. Dimensão simbólica.
- Inconsciente coletivo. Sonhos e individuação. Sincronicidade.
- Interpretação simbólica dos contos de fadas: o método junguiano da amplificação simbólica. A interpretação dos contos de fadas. Imagens arquetípicas. Principais personagens e seu simbolismo.
- O Feminino nos contos de fadas.
- Imagens arquetípicas e mitologemas.
- Mitologia comparada. Universalidade dos motivos mitológicos.
- O mito no mundo moderno: padrões míticos no cinema, nas artes plásticas e na literatura.
- Os contos e o processo de ensino-aprendizagem.
- Pedagogia simbólica.
- Conhecimento, autoconhecimento e individuação.
- As quatro funções da consciência e os diferentes estilos de aprendizagem.
- Introversão e extroversão. As quatro funções da consciência.. Tipologia junguiana e mitos correspondentes.
- O corpo e a palavra. Escrita criativa.
- Memória, música e poesia. Teatro, sonho e narrativa.
- Mitos de Criação e a formação e estruturação da consciência. Ego e arquétipo. Polaridades. Elaboração simbólica.
- Imagem arquetípica e dimensão simbólica das diferentes mitologias:
- Mitologia celta e nórdica
- Mitologia grega
- Mitologia egípcia
- Mitologia Africana
- Mitologia Indígena
- Mitologia indiana. Casais mitológicos
- Mitologia Sumeriana e hebraica
- Mitologia oriental: japonesa e chinesa
- Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Arteterapia.
Para se inscrever na Pós em Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Psicologia Analítica, entre no link:
http://www.posgraduacaobr.com.br/interno/curso_detalhe.php?curso=10369&modalidade=Presencial&estado=SP&cidade=SAO+PAULO
Sejam bem-vindos na Pós!
Inscrições abertas até 23/3 para quem quiser ingressar no primeiro módulo de 2013
Coordenação:
Patrícia Pinna BernardoPsicóloga/ Arteterapeuta
Pós-dra em Mitologia Criativa e Arteterapia (USP)
Coord. da Pós-Graduação em Arteterapia, em Arteterapia Aplicada
e em Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Psicologia Analítica da UNIP

11/03/2013

ARTERAPINNA - programação de cursos 2013 1o semestre!

CURSO PRESENCIAL OU ON LINE*
JUNG, ARTETERAPIA
E A ‘DOCE MEDICINA’

Módulo I: Fundamentos
*no formato on line a participação será em tempo real, via Skype ou outro programa equivalente de vídeo conferência, e a aula ainda será filmada e poderá ser assistida mais uma vez
.
A partir das minhas pesquisas acadêmicas sobre a estreita relação entre a Psicologia Junguiana, recursos expressivos e Mitologia Criativa, e de 30 anos de prática com a utilização de recursos vivenciais e expressivos nos campos terapêutico, pedagógico e preventivo, desenvolvi um método próprio de trabalho em Arteterapia (Método Arterapinna), que será transmitido a quem queira trabalhar com essa abordagem, adequando-a à sua área de formação e atuação. Esse curso será teórico, e poderá ser complementado com a parte vivencial na Oficina de Arteterapia (Centrar, Alinhar, Expandir: Criatividade, Autocura e Transcendência) que também será oferecida nesse semestre, quinzenalmente, em semanas intercaladas com o curso.
.
Temas abordados:
- Jung e Arteterapia: passos e aplicações da Arteterapia de base junguiana nas áreas das artes, saúde e educação
- Alinhamento ego-Self: técnicas de visualização criativa, relaxamento e meditação na sensibilização e fechamento do trabalho expressivo
- Mitologia e Contos de Fadas em Arteterapia: indicações e aplicabilidade
- Jung e o potencial terapêutico da Arte. A “Função Transcendente”
- As 4 funções da consciência (Pensamento, Sentimento, Intuição, Sensação) e os 4 elementos (Fogo, Água, Terra, Ar) na Alquimia, na Astrologia, na Roda da ‘Doce Medicina’ Indígena e na Arteterapia
- Elaboração simbólica e estruturação da consciência
- A “Botica Arteterapêutica”: correlação entre temas e recursos
- Arteterapia e alquimia interior: transcendência e individuação
                 .         
Quando: Segundas-feiras (quinzenalmente), das 18:45 às 21:00hs 
Aulas em: 25/03, 08/04, 22/04, 06/05, 20/05, 03/06, 17/06, 01/07
Investimento: 4 parcelas de 260,00, tanto no formato presencial quanto on line (*curso + oficina: 4 parcelas de 500,00)
.
Ministrado por: Patrícia Pinna Bernardo
.
OFICINA DE ARTETERAPIA
CENTRAR, ALINHAR, EXPANDIR
Criatividade, Autocura e Transcendência
"Se compreendermos e sentirmos que nesta vida já temos um vínculo com o infinito, nossos desejos e nossas atitudes sofrem uma transformação. Numa análise final, só valemos alguma coisa por causa do essencial que personificamos, e se não personificarmos isso, a vida será desperdiçada" (C. G. Jung)
 .
Temas trabalhados nas oficinas:
- Contando e ouvindo histórias: abrindo a escuta à sabedoria da psique
- Alinhamento e conexão com a essência: acessando potenciais
- A “Botica Arteterapêutica”: o caminho da autocura
- A arte de trilhar, com sabedoria, a Roda da ‘Doce Medicina’: os 4 elementos, as 4 funções da consciência e a jornada pessoal
- Expansão da consciência e transcendência

Quando: Segundas-feiras (quinzenalmente), das 18:45 às 21:00hs
Encontros em: 01/04, 15/04, 29/04, 13/05, 27/05, 10/06, 24/06, 08/07
Investimento: 4 parcelas de 260,00
(*curso + oficina: 4 parcelas de 500,00)
 .
Coordenação: Patrícia Pinna Bernardo

.
GRUPO DE ESTUDOS
Jung, Mitologia e Arteterapia
.
Grupo de Estudos destinado à leitura e discussão de textos de Jung, de autores junguianos (Edinger, Neumann, Hillman, entre outros), bem como textos de Mitologia, Contos de Fadas e Antropologia que tragam a abordagem simbólica (Marie-Louise von Franz, Junito Brandão, Mircea Eliade, Hollis, Campbell, Pedraza, entre outros). Os textos serão indicados a partir de temas escolhidos pelos integrantes do grupo.
.
Quando: Quartas-feiras (grupo quinzenal), das 17:00 às 19:15hs
Encontros em: 20/03, 03/04, 17/04, 08/05, 22/05, 05/06, 26/06, 03/07
Investimento: 4 parcelas de 260,00
(*grupo supervisão + grupo estudos: 4 parcelas de 500,00)
.
Coordenação: Patrícia Pinna Bernardo
.
SUPERVISÃO DE ATENDIMENTOS
Individual/grupal
.
Supervisão (presencial e on line) de projetos e trabalhos clínicos e institucionais nas áreas da saúde, educação e arte-educação, com enfoque na Psicologia Junguiana, Mitologia Criativa e Arteterapia. Ao longo dos encontros também serão indicados textos relacionados aos casos e temas abordados.
.
Grupo: Quartas-feiras (grupo quinzenal), das 17:00 às 19:15hs
Encontros em: 27/03, 10/04, 24/04, 15/05, 29/05, 05/06, 12/06, 10/07
Investimento: 4 parcelas de 260,00
Individual: em horários agendados fixos, presencial ou on line, 1h40’ uma vez por mês ou 2 encontros de 50’
Investimento: 350,00 por mês
(*grupo supervisão + grupo estudos: 4 parcelas de 500,00)
 ..
Coordenação: Patrícia Pinna Bernardo 
.
Inscrições: preencha a ficha de inscrição e retorne a mim pelo e-mail pat.pinna@uol.com.br para garantir a sua vaga!
FICHA DE INSCRIÇÃO
NOME:
ENDEREÇO:
TEL RES/COM:                                    
CELULAR:
E- MAIL:
FORMAÇÃO:
ATUAÇÃO PROFISSIONAL ATUAL:
ASSINALE ABAIXO O(S) GRUPO(S) QUE FREQUENTARÁ:
(  ) JUNG, A ARTETERAPIA E A ‘DOCE MEDICINA’
(  ) presencial  (  ) online
(  ) OFICINA DE ARTETERAPIA
(  ) GRUPO DE ESTUDOS
(  ) GRUPO DE SUPERVISÃO
(  ) SUPERVISÃO INDIVIDUAL (  ) presencial  (  ) online Preferência de horários:
.
Sejam bem-vindos!!!

Patrícia Pinna Bernardo
.Psicóloga/ Arteterapeuta
Pós-dra em Mitologia Criativa e Arteterapia (USP)
Coord. da Pós-Graduação em Arteterapia, em Arteterapia Aplicada
e em Mitologia Criativa, Contos de Fadas e Psicologia Analítica da UNIP
Autora da Coleção: A Prática da Arteterapia (6 volumes)
 .
O ANO DAS MARAVILHAS 2013